Difícil falar dessa velha senhora da música já que ela nasceu em 1954, e por incrível que pareça teve três pais, sendo eles Leo Fender, George Fullerton, Freddie Tavares e nenhuma mãe. E digo mais senhores, hoje eu sou um pai muito coruja de uma das varias descendentes dessa dama, que já foi acariciada pelas mãos dos maiores guitarristas da história.

Não estamos falando de uma meretriz ou groupie que pirou o cabeção dos Stones e do Hendrix na década de 60. Estamos falando da Stratocaster, popularmente chamada de “Strato” que no ano de 2014 está completando 60 primaveras, e merece os nossos aplausos em pé, sem cessão, como se fosse um gol de final da copa do mundo, por nos maravilhar por tantos anos com seu lindo som.

Já que o aniversário é dela vamos voltar as atenções para a protagonista desse post: A Stratocaster é utilizada por vários guitarristas que ao longo da história gravaram diversos clássicos empunhando esse modelo. Juntamente com a Gibson Les Paul e a Fender Telecaster, é um dos três modelos mais famosos de guitarra do mundo. Produzida pela Fender Musical Instruments Corporation, o modelo apresenta o formato “Double-Cutaway” (Recorte-Duplo), com o “Chifre” superior maior do que o inferior para balancear o peso da guitarra. O design da Stratocaster tem sido copiado e modificado constantemente. O nome “Strat”, apesar de ser registrado pela Fender, é utilizado genericamente para se referir a qualquer modelo que se remeta ao original, independente do produtor. É possível encontrarmos muitos modelos parecidos ou até com o mesmo design, porém produzidos por outros fabricantes.

Originalmente e até 1956, a Stratocaster era feita na cor Sunburst, num corpo de Ash, braço em Maple (carvalho americano) de peça única, contendo 21 trastes, marcações de escala no estilo “bolinha” e tarraxas Kluson. Quando a Fender começou a utilizar Alder na produção dos corpos, haviam outras cores que não faziam parte das cores padrão e só eram feitas através de encomendas, até 1960. Esses modelos “sob- encomenda” eram quase todos pintados com tinta automotiva produzida pela Dupont, e encareciam a guitarra em até 5%. O escudo de uma única camada fixado com 8 parafusos, permitiu que a parte eletrônica dos captadores ficasse protegida, expondo assim somente o Jack e proporcionando uma proteção prática, já que para ter acesso à fiação dos captadores só é preciso desaparafusar e retirar o escudo.

Subsequentemente o design das Stratocasters, assim como o som e a qualidade dos componentes melhoraram bastante. Porém ainda assim, as Fenders antigas, têm um valor bastante alto no mercado, pois são instrumentos raros e que muitos músicos preferem devido ao timbre diferenciado dos instrumentos vintages. Quando completou cinco décadas, a guitarra inspirou o jornalista Tom Wheeler a escrever o livro “The Stratocaster Chronicles“, com fotos e depoimentos de designers, executivos e músicos sobre o modelo de instrumento. As Stratocasters têm seu timbre “Quack”, caracterizado predominantemente pela cavidade do trêmulo, sua madeira, seu corte, seus captadores e principalmente pelo seu braço, mais longo do que os modelos Gibson Les Paul.

Diferentemente dos modelos originais, atualmente cópias feitas por luthiers e outras empresas, englobam madeiras como marupá, cedro, poplar, freijó, basswood, swamp ash e até mesmo mogno em alguns casos. Vale lembrar que a madeira e sua densidade influenciam muito no timbre da guitarra, dando um som mais fechado com o cedro, ou mais brilhante com um Ash (dependendo da densidade deste em particular, que varia muito). O modelo padrão da Strato possui três captadores: ponte, meio e braço. Jimi Hendrix foi pioneiro em colocar o seletor de escolha destes captadores na posição intermediária, selecionando assim o som de 2 captadores ao mesmo tempo para obter uma terceira nuance de timbre na mesma guitarra. Posteriormente a empresa alterou o seletor para que possibilitasse a escolha combinada de um ou dois captadores em 5 maneiras diferentes, proporcionando uma variedade maior ainda de timbres.

Agora que vocês já sabem cada detalhe da melhor mulher (para mim, guitarras são todas fêmeas) do mundo, segue abaixo as fotos de alguns modelos que com certeza fizeram história na mão de alguns de seus ídolos.

Fender Stratocaster “Crashocaster” – Eric Clapton Signature
tdcast-60-anos-fender-crashocaster

Fender Stratocaster “Tribute” – Stevie Ray Vaughan Signature
tdcast-60-anos-fender-srv

Fender Stratocaster “Monterey Pop” – para Jimmy Hendrix
tdcast-60-anos-fender-johnmayer

Fender Stratocaster “Blackstrat” – usada por David Gilmour
tdcast-60-anos-fender-gilmour1

Fender Stratocaster – Jim Root Signature
tdcast-60-anos-fender-jimroot

Fender Stratocaster “Hitmaker” – Nile Rodgers Signature
tdcast-60-anos-fender-nilerodgers

Fender Stratocaster “Black One” – John Mayer Signature
tdcast-60-anos-fender-johnmayer2

Musiqueiros, agora me deêm licença que eu preciso ir ali fazer a minha Strato gritar um pouco!
Tenham uma boa vida.

– Hotsite de comemoração da Fender
Quem ficou interessado em ser pai ou mãe de uma Stratocaster, a loja referência em Fenders no Brasil é a Reference Music Center: http://www.reference.com.br/

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.