Em 1936 nasce uma gravação de Crossroad Blues feita por um artista americano chamado Robert Johnson. Com uma performance solo no estilo Delta Blues, apenas voz e o seu violão utilizando-se da técnica de slide, essa música se tornou parte de uma mitologia em volta do artista, onde dizem que nessa encruzilhada foi onde ele vendeu sua alma ao demônio em troca de suas habilidades musicais. Anos depois essa música se torna uma das mais tocadas em Jam Sessions de guitarristas apaixonados pelo Blues, com regravações de peso por artistas como Elmore James, Eric Clapton e John Mayer.

Depois de toda essa história já dá pra imaginar o que o festival viria a se tornar. Inspirado pelo início do blues e até por almas vendidas, Eric Clapton cria o Crossroads Guitar Festival, um festival beneficente em prol do Crossroads Centre, uma clinica para tratamento de dependentes químicos localizado em Antigua. Uma atitude super nobre pela boa musica, uma vez que o nosso mestre Clapton é um ex-viciado e entende da realidade dessas pessoas.

O festival é guitarra de sobra e para todos os gostos, traduzindo ao pé da letra é uma encruzilhada de solos e experiências trocadas por varias gerações, uma verdadeira aula para guitarristas e músicos em geral. Onde mais você irá encontrar Buddy Guy, B.B. King, Bo Didley, Santana, Steve Vai e John Mclaughin tocando um na atrás do outro? Apenas no Crossroads! E é disso que eu estou falando, se não o maior em questão de nível musical ele está entre os três primeiros.

troca-o-disco-crossroads

Mesmo com toda essa grandeza, o Crossroads teve apenas quatro edições até agora, sendo a primeira em 2004 no Dallas em Texas, as duas próximas edições aconteceram em 2007 e 2010 na mesma cidade de Bridgeview em Illinois, e a última no ano passado no fabuloso Madison Square Garden em New York.

Infelizmente ele só rolou nos Estados Unidos, e também acho muito difícil ser um evento que vá viajar o mundo. Não só pelas dificuldades, mas por conta de ser beneficente. Quanto mais se economizar em produção, mais verba para a doação. Mas fiquemos felizes pois todas as edições são lançadas em CD, DVD e Blu-Ray, portanto pegue a sua guitarra coloque no colo e participe dessa encruzilhada diretamente do seu sofá. Eu mesmo já fiz isso varias vezes e é sempre uma super aula.

Musiqueiros de plantão, deixo com vocês alguns momentos memoráveis do Crossroads Guitar Festival. Caso tenha esquecido de algum, os comentários estão logo ai para continuarmos esse papo. Nos encontramos na encruzilhada e tenham uma boa vida.

  • Mega Mendigo

    Cara, eu gosto pra caramba desses supergrupos e essas reuniões inusitadas entre músicos (seja do mesmo estilo musical ou não).

    Um artista que é versado nessa arte de “crossover” musical, mas mais na pegada de projeto mesmo é um cara que eu sou mega fã: o baixista Les Claypool! (por sinal, ótimo post esse!)

    Propaganda free: http://socialzero.com.br/musica/four-foot-shack/

    • Boa man! Bem bacana o projeto do cara que você linkou aí… esse blog é teu?

      • Mega Mendigo

        Sim! É uma iniciativa minha e de alguns amigos. Falamos de tudo um pouco lá: quadrinhos, cinema, música,tecnologia, etc.
        O Les Claypool é uma artista muito versátil (sou meio suspeito pra falar dele, pois sou fã do cara e de todos os projetos que ele têm/já teve).
        Conheci seu site a pouquíssimo tempo, e pelas matérias que já li gostei pra caramba!
        Sou meio viciado em podcasts, então acabei encontrando o de vocês num outro site e coloquei na lista dos que eu vou ouvir!

        • João Paulo Gomiero

          Mega Mendigo mandou muito, Les Claypool sabe o que faz!
          Social Zero ta cheio de coisa boa, parabéns!

        • Poxa cara, que bom que parou por aqui pra comentar! Valeu mesmo por ouvir, esperamos que esteja curtindo mesmo e parabéns pelo site também! Let the music unite us! Abraço!

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.