Hoje vou falar sobre algo que era mais frequente no cotidiano de velhos como eu, que nasceram no início da década de 80, mas também assola as pobres almas jovens em todo o mundo: as músicas perdidas. Sabe aquela música da sua infância que tocava no rádio (coisa cada vez mais rara) e você era pequeno demais pra sair pesquisando por aí (no meu caso, nem poderia. Pesquisar ONDE?) sobre ela? Você simplesmente nem percebia que gostava até o dia em que se lembraria ou a escutaria em algum carro passando e teria a terrível sensação de não poder fazer nada a não ser lembrar mesmo. Tê-la para ouvir quando quisesse era impossível, a não ser que a sorte de estar com uma fita K-7 em ponto de bala estivesse com você. Mas os locutores SEMPRE falavam por cima da música… Malditos!

Como disse, isso era mais frequente em tempos offline, sem Shazam ou similares. Aliás, o Shazam é, para mim, uma das grandes invenções do novo século. Meu sonho de consumo realizado sob a forma de um app gratuito que identifica até mesmo as minhas músicas. Basta ser rápido no gatilho, desbloquear o smartphone, dar mais umas duas dedadas na tela e lá está o título, artista e mais um punhado de informações que tornam banal essa tão sonhada experiência. Perdeu até um pouco da graça, ironicamente… Só damos valor ao que não está ao alcance?

Volta e meia me lembro de alguma música que sempre quis ter pra mim. Só que hoje já tenho uma certa noção de inglês a ponto de lembrar e buscar no Google algum trecho, mesmo que errado, e achar. Claro, este fenômeno era mais comum com músicas estrangeiras, que não nos deixavam com qualquer informação válida para pesquisa. Imagino que todo mundo tenha suas músicas perdidas. Aqui, posto algumas que consegui encontrar, das mais diversas formas. Uma das mais engraçadas foi a locutora da rádio me dizendo, por telefone,  o nome da música “Mmm mmm mmm mmm”, do Crash Test Dummies, décadas atrás. Também teve outro chamando “Build”, do Housemartins, de “Melô do Papel”. E você? Conte aí embaixo suas histórias e mostre suas músicas perdidas-que-foram-encontradas. Aposto que teremos várias em comum.

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.