Nessa última semana estive na exposição Hear My Train A Comin, que conta sobre o período em que o deus da guitarra Jimi Hendrix esteve na Inglaterra. A exposição aconteceu durante o mês de julho no Shopping JK Iguatemi em São Paulo, e ela com certeza não chama atenção só de guitarristas, músicos ou apaixonados pela arte, mas também contém um apelo histórico forte.

A exposição não é muito grande e está organizada em sequência cronológica durante o período em que Jimi esteva em Londres. Você vai precisar de tempo se quiser ler todo o material presente nas paredes, pois está forrado de recortes originais de jornal sobre o furacão que Hendrix causou na capital de Londres. Cartas escritas a mão pelo próprio guitarrista e amigos também estão presentes. Confesso que a letra dele não se é tão legível assim, mas vale a pena se arriscar para entender os manuscritos, pois contém muita história musical envolvendo grandes nomes como Eric Clapton e Jeff Beck, sendo a grande parte historiadora/jornalistica.

Capturar1

A parte de moda fica por conta das peças de roupas originais utilizadas pelo guitarrista. Peças que mesmo para a época eram bem excêntricas e psicodélicas, todas datadas, com o nome da grife e estilista que a desenhou, além do local em que foram usadas. Em cada sessão você tem à sua disponibilidade, vídeos e áudios que contam ainda mais sobre o momento. Isso nos proporciona uma imersão ainda maior, ouvindo a guitarra de Jimi chorar a emoção só aumenta de estar frente a frente com tudo aquilo. Não existem muitos instrumentos expostos, mas os que estão lá surpreendem. O palco do Trio está montado com peças originais e realmente utilizadas pelos musicos, amplificadores, pedais, instrumentos e acessórios.

Capturar4

Uma parte muito curiosa é quando em uma parede, esta disposta a coleção de discos do próprio Hendrix, onde é nítida a influência pelos grandes nomes do blues como John Lee Hooker, Albert King, Frank Zappa, Stones e Johny Cash.

Capturar

Existem dois momentos na exposição em que a sua cabeça pode explodir. Um é ao olhar de tão perto, sendo separado apenas por um vidro, a guitarra quebrada e pintada a mão por Hendrix. Ela está lá “intacta”! a mesma que deu origem as póstumas Fender Monterey Festival. E o outro momento, o ápice, já no fim da exposição, ao lado do vídeo do Woodstock rolando em alto e bom som, está lá a Fender Stratocaster utilizada no festival. Observei por vários longos minutos o vídeo, e olhando cada detalhe da guitarra para acreditar que realmente ela tinha sido tocada pelas mãos do cara que se tornou a maior referência para quase todos os meus idolos da guitarra. Como disse anteriormente qualquer pessoa que goste de qualquer gênero relacionado a alguma arte humana, iria se impressionar.

Capturar3 520398-970x600-1

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.