Na segunda semana de abril, Kanye West comemorou o fato de seu novo álbum, The Life of Pablo, chegar ao primeiro lugar da Billboard 200, sendo que sua distribuição foi totalmente digital – trata-se do primeiro álbum da história da música ao atingir o topo da lista sem mídia física.

Vale lembrar que Kanye pretendia, inicialmente, oferecer o álbum apenas para streaming através do Tidal. Seria uma estratégia interessante se o serviço de streaming de Jay Z não tivesse passado por problemas de irregularidade ao divulgar o real número de vezes em que as faixas estavam sendo executadas. O resultado é que The Life of Pablo foi um dos álbuns vazados mais baixados ilegalmente da história da música em formato digital mas, mesmo com tanta gente ouvindo, ele não chegou nem perto do top10 dos rankings que, por sua vez, mensuram apenas os meios oficiais de execução.

O jogo virou quando, afinal, o álbum passou a ser oferecido em todos os serviços de streaming conhecidos (Spotify, Deezer, etc.) e também para venda em formato digital na iTunes – note que a venda física (CDs, vinil, etc.) continua fora da jogada. Após ser oferecido em inúmeros canais, levou cerca de uma semana para que The Life of Pablo registrasse o equivalente a 94 mil audições do álbum, sendo que, desse número, 28 mil correspondem à venda do mesmo pela iTunes; o resto vem da execução das músicas pelos serviços de streaming.

Mas peraí: como é que a Billboard chegou ao número de “94 mil álbuns de The Life of Pablo ouvidos/ vendidos” através dos serviços de streaming? Como isso é feito?

A Billboard vem usando a conta matemática que a RIAA (Recording Industry Association of America) estabeleceu em fevereiro de 2016 e a Nilsen Netratings vem efetuando desde então para calcular os hits mais ouvidos do momento. A Indústria musical reconhece que cada 1500 vezes que uma música for ouvida em um serviço de streaming ou comprada de uma loja digital equivalem à execução de 10 faixas de uma mídia física, número que a RIAA considera a média de quantidades de um álbum. Esse número de 1500 vezes não precisa vir de um único serviço, mas da soma de todos. Por exemplo:

O Billboard 200 é o ranking que mede os álbuns mais populares da semana baseado nas vendas tradicionais, vendas digitais de músicas e streaming. O álbum de West é o primeiro a chegar nesse ranking tendo a maior parte de seu público via streaming.

Agora que aprendemos como as novas contas são feitas, é com você: se quiser que seu artista ganhe relevância no mundo dos negócios musicais, gaste seu Spotify tocando a música do cara no repeat o tempo todo – isso representará “vendas de álbuns” para ele sem que você gaste mais dinheiro do que o da assinatura mensal do seu serviço de streaming (se é que você não usa a versão gratuita do mesmo).

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.