Me admira muito que o tema de hoje nunca tenha sido citado por aqui. Pois bem, Por volta de 2010 eu andava pesquisando muito jazz. Comprei livros, descobri podcasts, sites especializados, escutava todo dia o Sala dos Professores, baixava muitos discos obscuros. Praticamente só ouvia jazz o tempo todo. Foi quando fui apresentado a um álbum de big band que era trilha sonora de um anime que eu nunca tinha ouvido falar: Cowboy Bebop. O som era incrível: um jazz meio New Orleans, com umas percussões latinas, alguns blues, inclusive alguns solos incríveis de gaita. Nisso ainda tinha umas inserções de ska, country (óbvio: temos cowboys na história), música eletrônica, metal, intercalando letras em inglês e japonês. Que salada!

Ouvi essas músicas incansavelmente por um bom tempo até tomar a iniciativa de assistir ao anime: com uma trilha como essa, não tinha como ser ruim. Bingo! Nele, a música tem um papel todo especial (o próprio “bebop” no título já denuncia) e até mesmo o personagem Jet diz que gosta de blues desde quando “ainda estava no saco do pai”. Isso fora referências nos títulos dos episódios e longa-metragens, como Knockin’ on Heaven’s Door. Foi uma experiência muito interessante. Geralmente assistimos algo e depois corremos atrás da trilha. Neste caso eu já conhecia a trilha muito bem e só descobri onde cada faixa foi encaixada na trama. Que produção genial!

A responsável pela trilha é uma espoleta chamada Yoko Kanno. Nasceu em 1964 e se especializou em trilhas para animes (foram muitos, sendo que o único que eu conheço, além do CowBe é Cardcaptor Sakura), filmes e coisas do gênero. Para criar esta trilha , Yoko (a prova de que existe sim uma Yoko talentosa de verdade e famosa no mundo) juntou uma multidão e montou a banda The Seatbelts, que possui uma lista gigantesca de membros e não tem um vocal fixo. É mais ou menos como a Postmodern Jukebox, famosa no YouTube por criar versões jazzy de temas pop.

Só para o Cowboy Bebop, Yoko Kanno e os Seatbelts fizeram mais de dez discos, incluindo algumas coletâneas. Vale lembrar que, no Japão, trilha sonora de anime e game é algo levado muito a sério. Os compositores são ídolos (o maior deles, provavelmente seja Koji Kondo, criador das trilhas do Mario) e suas músicas podem ser simples ou extremamente complexas. A trilha de CowBe vai de um extremo a outro: de um acústico só com uma gaita até uma big band com “trocentas” pessoas tocando, e muito bem.

Infelizmente a trilha ainda não está no Spotify, mas no YouTube é possível achar tudo, e ainda algumas apresentações da Yoko acompanhada dos Seatbelts executando essas músicas ao vivo. Aqui embaixo algumas das minhas favoritas (bom, quase todas são minhas favoritas). Aproveite, busque TODOS os discos, assista ao anime e… See you space cowboy!

 

 

  • Branco Dunn

    Só um adendo, um dos maiores parceiros dela é Steve Conte, que tocou no New York Dolls.

    Macho, texto supremo! Yoko Kanno é minha compositora japa favorita. Vou deixar abaixo algumas recomendações da obra dela, você merece ouvir música boa, Segue:

    Ghost In The Shell – Stand Alone Complex (seriado do clássico que será adaptado para o cinema, com a Scarlet Johansson)
    Ghost In The Shell – Stand Alone Complex 2GIG
    Ghost In The Shell – Solid State Society
    Wolf’s Rain
    Sakamichi No Apollon (Kids On THe Slope, anime sobre jazz, a trilha é contém releituras de clássicos do Jazz)
    Memories
    Macross Plus
    Porco Rosso

    • Opa! Valeu pelas dicas, Branco. Vou procurar tudo. Quem sabe não rola uma parte 2… Abração e tenha uma boa vida!

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.