No último dia 28 de junho, o escritório de patentes dos Estados Unidos concedeu à Apple a patente de uma tecnologia que a empresa havia solicitado em 2011. A tecnologia em questão consiste em um receptor de sinal infravermelho instalado na câmera do seu iPhone – assim que o seu celular entra em um local e recebe um sinal pelo tal receptor, a sua câmera fica desabilitada para tirar fotos ou filmar. Até o momento, no entanto, a Apple não divulgou oficialmente sobre como essa tecnologia será usada ou se será mesmo implementada em seus produtos.

E o que isso tem a ver com nosso universo musical? Ocorre que a tecnologia em questão foi pensada para impedir que pessoas tirem fotos ou filmem apresentações ao vivo entre outros locais onde o ato de tirar fotos é, no mínimo, limitante, como em museus, teatros ou cinemas. “Um emissor infravermelho pode ser localizado em áreas onde a imagem ou captura de vídeo é proibida e o emissor pode gerar sinais infravermelhos com dados codificados que inclui comandos para desativar as funções de gravação de dispositivos”, explica a patente. “Um dispositivo eletrônico pode, então, receber os sinais infravermelhos, decodificar os dados e desativar temporariamente a função de gravação do dispositivo baseado no comando.”

A tecnologia poderá trazer outras utilidades, como oferecer informações daquilo que se está fotografando, mas sua característica restritiva é o que pode atrair estabelecimentos como casas de shows, responsáveis por instalar os dispositivos emissores dos sinais que bloquearão as câmeras se quiserem, e os artistas que têm reservas com essa prática por parte do público. Artistas como Adele, que pagou um esporro para uma mulher na plateia que estava usando até mesmo uma câmera profissional (com tripé e tudo) para registrar o evento.

Mick Jagger foi mais um que estranhou seu público durante a última apresentação que os Rolling Stones fizeram no Rio de Janeiro e em São Paulo. “O público assiste ao show pelo celular”, disse. Iggy Pop, Josh Homme, Kay Bush e outros também já se manifestaram contra a prática, dizendo que as pessoas não aproveitam o espetáculo, preocupadas demais em grava-los. Os caras do Radiohead, indo na contramão das opiniões, chegaram a liberar o wi-fi do festival Secret Solstice, na Islândia, e incentivaram as pessoas que elas transmitissem tudo pelo Periscope.

E você? O que acha dessa prática de filmar/ tirar fotos dos shows? Ela realmente reduz a experiência da apresentação para o público e o artista ou é uma atitude normal da nova geração? Continue esse debate aí nos comentários!

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.