Está sendo exibido lá fora o novo documentário do diretor Morgan Neville, chamado The Music of Strangers: Yo-Yo Ma and the Silk Road Ensemble. O filme traz o mundialmente reconhecido celista Yo-Yo Ma (este, de origem chinesa, nascido na França e criado nos EUA) reunindo seu projeto “The Silk Road”, composto de músicos de várias partes do mundo, para filosofar sobre a influência da música na inter-cultura enquanto compõem músicas juntos, cada um trazendo influências de seus países de origem, não para sobressair um estilo ao outro, mas para somar, criando algo novo e em conjunto. Assista ao trailer:

Neville já ganhou um Oscar e um Grammy por outro documentário musical que dirigiu, 20 Feet From Stardom, de 2013. Você pode encontrar o nome desse cara nos créditos de outros documentários musicais como Respect Yourself: The Stax Records Story, Muddy Waters Can’t Be Satisfied e Johnny Cash’s America.

Em entrevista ao NPR Music, Morgan conta que “a melhor coisa sobre isso para mim como cineasta é que eu não apenas começo a entrar no meu amor pela música, mas também pelo que a música é, para mim: ela é o cavalo de Tróia mais surpreendente para qualquer outro tipo de história. Os melhores filmes de música não são sobre música… A música é apenas a língua que estamos falando de contar uma história sobre a cultura.”

O mercado cultural em geral parece concordar com Morgan Neville: desde o começo dos anos 2000, dezenas de documentários sobre bandas e artistas de todo tipo surgem anualmente – artistas locais, desconhecidos com uma história fantástica que, de alguma forma, fizeram parte da história da música, grandes nomes que marcaram gerações… Isso sem falar de filmes sobre um lugar, ou uma época, ou uma geração específica, ou mesmo um instrumento e sua influência na música!

Foi-se o tempo em que “documentário musical” era sinônimo de caça-níqueis na forma de uma câmera seguindo um artista durante um mês ou dois para mostrar seu dia a dia (roteirizado como tal qual um reality show) durante a turnê mundial de seu mais recente álbum. Cineastas importantes como Jean-Luc Godard e Martin Scorsese entre outros já se aventuraram nessa seara, gerando registros fantásticos para qualquer amante de música e até mesmo para aqueles que só apreciam essa arte de longe, aproximando-a desse público que, muitas vezes, se fascina com os bastidores e, sem querer, torna-se mais um “musicomaníaco”.

A Netflix está cheia de documentários incríveis como o maravilhoso What Happened, Miss Simone?, que conta a história de Nina Simone e serviu de base para um episódio do podcast. Confira algumas dicas e complete essa lista nos comentários abaixo – e não se esqueça de assistir a todos!

 

Keith Richards: Under the Influence

No ano de lançamento de seu novo álbum solo, o guitarrista dos Rolling Stones vira o astro de um documentário sobre sua vida, suas influências e o quanto ele mesmo influenciou tantas gerações enquanto “volta no tempo” durante as gravações de seu atual trabalho.

 

The Wrecking Crew

O que os Beach Boys, Cher, Frank Sinatra e tantos outros artistas têm em comum? Todos eles tiveram o melhor apoio musical que um artista americano dos anos 60 poderia ter com a fantástica “The Wrecking Crew”. O grupo de músicos de estúdio é responsável pelo instrumental de grandes artistas e álbuns revolucionários, que são reverenciados até hoje.

 

Gimme the Power

Uma das bandas mais politizadas do México, a Molotov ganhou um documentário contando não apenas a sua origem e pregando sua palavra revolucionária por um país melhor, mas é também dando uma aula de história política mexicana que impulsiona vozes em forma de música.

 

Downloaded

O Napster foi mais do que o primeiro programa de compartilhamento de arquivos musicais da história da Internet: o ícone do gato de headphone representa o início de uma verdadeira revolução musical que fez a indústria tremer nas pernas, dividiu as opiniões de artistas e levou o mundo para esta transformação gigantesca pela qual ainda estamos passando. Conheça a história desse “marco zero” da Nova Música Digital.

 

Rejoice and Shout

A música gospel americana, aquela cantada a todos os pulmões em igrejas frequentadas por negros da terra do Tio Sam, presta um serviço essencial para o mundo inteiro há 200 anos, trazendo ritmo, melodia, harmonia e muita “alma” para a música de todo o planeta, sem falar que é o berço do blues e do country, um dos avós do rock e a fonte de todo som dançante que conhecemos hoje. É fascinante conhecer a origem de tudo!

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.