Saudações Musiqueiros de Plantão! Existe um período da música erudita em que a sonoridade me agrada muito, o Barroco, era do nascimento de grandes nomes da história da música como Johann Sebastian Bach, Antonio Vivalvi, Georg Friedrich Händel, entre outros.

E desta vez eu convido vocês à audição de uma das obras mais importantes e de fácil audição do mestre Bach: lhes apresento os Concertos de Brandenburgo BWV 1046-1051 (título original: “Six Concerts Avec Plusieurs Instruments”), que quer dizer “Seis Concertos Para Vários Instrumentos”, escritos entre 1718 e 1921, a pedido de um príncipe que colecionava música chamado Cristóvão Ludovico de Brandemburgo-Schwedt.

Bach utilizou um “espectro mais amplo de instrumentos orquestrais… em combinações ousadas,” (palavras de Christoph Wolff), pois só tinha 17 músicos à sua disposição, podendo até ser considerado uma interpretação de música de câmara. Após a apresentação as obras foram esquecidas arquivadas na biblioteca do marquês em 1732, sendo publicados novamente apenas em 1850.

O que mais me chama atenção nessas peças é a sonoridade do instrumento cravo, que é um precursor do piano, que tem as suas cordas marteladas. O cravo tinha as suas cordas pinçadas criando uma sonoridade muito específica e agradável, vocês irão notar também que precisa ser um tanto quanto virtuoso no instrumento para tocar essas peças, principalmente no Concerto Nº 5 em que existe um solo e improvisação do Cravo.

Vou deixar aqui os instrumentos que são utilizados para tocar em cada uma das peças, pois os movimentos e andamento já tem nas descrições das faixas do álbum:

Concerto No. 1 em F maior, BWV 1046

Orquestração: duas trompas de caça, três oboés, um fagote, violino piccolo, dois violinos, uma viola, um violoncelo e baixo contínuo (cravo).

Concerto No. 2 em F maior, BWV 1047

Concertino: trombeta natural em F, flauta doce, oboé, violino Ripieno: Dois violinos, viola, violone (instrumento parecido com um contrabaixo e que pode ter de três a seis cordas), baixo contínuo (cravo).

Concerto No. 3 em G maior, BWV 1048

Orquestração: três violinos, três violas, três violoncelos e baixo contínuo (cravo).

Concerto No. 4 em G maior, BWV 1049

Concertino: Violino e duas flautas doce

Ripieno: Dois violinos, duas violas, dois violoncelos, violone e baixo contínuo.

Concerto No. 5 em D maior, BWV 1050

Osquestração: Cravo, Violino, Violoncelo e  Flauta.

Concerto No. 6 em B maior, BWV 1051

O último concerto da série foi escrito para uma combinação de instrumentos de cordas que é incomum de diversas maneiras. Primeiramente, ele não usa violinos. Em segundo, os instrumentos solo — duas violas da braccio e um cello — e os instrumentos de acompanhamentos — duas violas da gamba e um cravo — são incomuns para Bach.

 

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.