Troca o Disco #84 – Sessions: Dazinsk

Nesta session conheça o som do DJ Arthur Dazinsk. Batemos um papo sobre sua carreira, a cena do eletrônico no Brasil, e sobre a postura e o papel do DJ como profissional na indústria da música.

Como em toda Session, som AO VIVO!

Se você curtiu, não esqueça de fazer o download ou streaming da Session na íntegra lá no Soundcloud clicando neste link. Lá você vai encontrar as músicas que rolaram nesta session para ouvir como e quando quiser!

Contatos:
facebook.com/dazinsk
soundcloud.com/dazinsk
youtube.com/officialdazinsk
instagram.com/dazinsk
snapchat: @dazinsk
contato@dazinsk.com.br

Quem fala?
João Paulo, produtor musical e editor no Troca o Disco.
Henrique Machado, técnico em áudio, edição dos podcasts e revisão no Troca o Disco.
Arthur Dazinsk, produtor musical e DJ profissional.


Para fazer o download, clique com o botão direito do mouse e em “salvar arquivo como…”

IMG_2016-08-13 00:58:19
IMG_2016-08-13 00:58:31
IMG_2016-08-13 00:58:42IMG_2016-08-13 01:05:23

Colabore com o Troca o Disco no Padrim e receba brindes exclusivos!

Divulgue o Troca o Disco!
Não deixe de assinar nosso feed no itunes e dar 5 estrelinhas para o nosso Podcast
Críticas, elogios e sugestões para contato@trocaodisco.com.br
Arte da Capa: Eder Oliveira

  • Olá, musiqueiros.

    Gostei do som do amigo Arthur Dazinsk e mais ainda ao ver a mágica acontecendo no canal dele no Youtube. Só de ver, é algo capaz de deixar perdido qualquer um que não seja um DJ dos bons.

    Gosto musical cada pessoa tem o seu, sendo normal gostar mais de uma coisa e menos de outra, mas não há justificativa para quem diz que música digital é algo depreciável, especialmente se tratando da que é feita ao vivo como a do Dazinsk. Claro que é sacanagem quando o DJ tenta enganar o público e só aperta um botão de play em algo que já vem pronto, mas não dá pra achar que todos são assim. Confesso que não é toda música eletrônica que me agrada, especialmente algumas que me passam uma sensação meio “deprê”, ou quando se tornam basicamente mantras. Fora isso tem muito som eletrônico que considero de qualidade.

    Aproveito para indicar o álbum Brave Enough, lançado esse mês de agosto pela artista Lindsey Stirling, violinista que mistura o som de seu instrumento com música eletrônica e, eventualmente, vocais.

    Tenham uma boa vida.

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.