Lady Gaga - Joanne
3.3Pontuação geral
João Paulo
Henrique Machado
Bruno Hiago
Votação do leitor 133 Votos

Neste album review, saiba o que achamos sobre o tão aguardado Joanne, da Lady Gaga. A idéia desta série de Podcasts é bater um papo sobre um único disco que já está na agulha da galera, mas que gostariamos de dar a nossa opinião e abrir a discussão com você, querido ouvinte!

Ouça também: Album Review #05: Banks – The Altar

Quem fala?
João Paulo, produtor musical e editor no Troca o Disco.
Henrique Machado, técnico em áudio, edição dos podcasts e revisão no Troca o Disco.
Bruno Hiago, músico, blueseiro de corpo e alma e publicitário.

 

 

 


Para download, clique com o botão direito e salvar arquivo como…

Faça como: Carlos Del Valle, Glauber Coelho, Dienifer Schmitt, Rhamsés Soares, Matheus Eduardo, Pedro Cassimiro, Douglas Lombardi, Douglas Lima, Felipe Bonício, Pedro Geloso, Deyse Mello, Caio Manzaro, Caio Lívio, Danilo Battistini, Thaís Regina, Daniel Medina, Wedson Desiderário, Fábio Halmenschlager, Francine Emilia Costa, André Stábile, Glauce Leandres e Julio César Margraf.

Colabore com o Troca o Disco no Padrim e receba brindes exclusivos!

Confira as Sessions que já rolaram por aqui na íntegra clicando aqui.

Divulgue o Troca o Disco!
Não deixe de assinar nosso feed no itunes e dar 5 estrelinhas para o nosso Podcast
Críticas, elogios e sugestões para contato@trocaodisco.com.br

  • Derley Lacerda

    Eu acho que a tracklist desse álbum mal formado, pra mim dancin in circles, Hey Girl, come to mama e perfect illusion deveriam ser as últimas ou até mesmo versão deluxe. São faixas boas mas quebra a harmonia do cd. Gostei muito de hey girl e come to mama, mas pra mim também não combinou com a track. Adoro o review de vc’s e, Eu ESCUTO ATÉ O FINAL!!! Pode ter até duração de uma hora q vou ouvir. Adoro vc’s

  • Rafael

    Ouvi até o final hahaa Sou fã da Lady Gaga, amei esse album, tipo, a sonoridade dele é de um jeito que eu gosto, é uma vibe totalmente diferente do que ela já fez, me tornei fã dela com aquele pop animal dos albuns anteriores, mas Joanne me conquistou. Não sou entendedor de música e tal, só que achei a proposita legal e como ela disse que queria unir vários estilos musicais nesse novo trabalho, eu acho que deu certo. Enfim. Amei a review de vocês e vou tá sempre acompanhando. Abraços 😀

  • Se fosse pra procurar um defeito no album realmente é a falta de consistência no estilo, e por mais que musicas como John Wayne, A-yo e Million reasons sejam bem mais consistentes no estilo que ela quis passar minhas musicas favoritas do album sao justamente as mais destoantes como Hey Girl, Angel Down e Diamond Heart,
    E acho que o visual country desse album meio que confunde o ouvinte ja que ele faz muito mais um estilo pop/rock elton johnesco com uma pegada country.

  • Tiago

    Ela compõe ou co-compõe todas as suas canções. Exceto o CTC, que é um álbum de regravações.

  • Raul Oliveira

    E pior que essa parte de o álbum ser um meio termo é realmente perceptível e foi intencional pra não intimidar os fãs, algo como “vou fazer algo mais intimista que nunca fiz e me arriscarei mas também vou colocar algo que quem gosta do meu som antigo vai gostar na certa”, o que acho que talvez tenha sido um erro, ou quem sabe um acerto dependendo da direção do próximo álbum que virá. Parece que toda hora que ela se encontrava com algo mais cru e “real” ela voltava pro ponto de conforto dela (as produções mais radiofônicas) o que dava certa discordância com o desenrolar da tracklist. Eu, ao contrário do que um dos caras do podcast disse, gostei muito mais das partes mais midtime do álbum, Sinner’s Prayer, Hey Girl, Come To Mama, Joanne e até mesmo as músicas da versão Deluxe,Just Another Day e Grigio Girls, essas duas são maravilhosas na simplicidade e no sentimento que transmitem que poderiam ter entrado tranquilamente no lugar de John Wayne ou A-YO que são produções que eu já ouvi dela ou de outras (John Wayne é a cara do Born This Way e A-YO tem algo que me remete a Meghan Trainor com aquele quê retrô de trombones e tudo mais ou até Shake It Off da Taylor Swift), são músicas que não me despertam curiosidade ou um sentimento de “porra, eu nunca tinha ouvido isso de você Gaga, me surpreendeu”. Diamond Heart apesar de se juntar ao segundo grupo que eu mencionei, acabo por gostar da letra autobiográfica e Dancing’ In Circles como disseram, remete totalmente a Alejandro,é uma música gostosa de ouvir e cantar, mas não traz nada de novo pra Gaga, apesar de ser boa.

  • Thiago

    Eu ouvi até o final o comentário a respeito de uma cantora pop que não canta… Kkkkk …. Mas enfim gostei doa comentários a respeito do álbum. É gostaria de opinar que pela fato da Gaga não divulgar em TVs e coisa e tal fica vago qual a intenção ou a “era” que a mesma quer nos paaaar.

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.