O mundo perdeu um dos maiores nomes da guitarra e talvez a figura mais importante e influente do mundo do rock. Este programa fala um pouquinho de sua história e do legado que Chuck Berry nos deixou.

Quem fala?
João Paulo, produtor musical e editor no Troca o Disco.
Henrique Machado, técnico em áudio, edição dos podcasts e revisão no Troca o Disco.
Bruno Hiago, músico, blueseiro de corpo e alma e publicitário.


Para download, clique com o botão direito e “salvar arquivo como…”

Colabore com o Troca o Disco no Padrim e receba brindes exclusivos!
Faça como: Carlos Del Valle, Glauber Coelho, Dienifer Schmitt, Rhamsés Soares, Matheus Eduardo, Pedro Cassimiro, Douglas Lombardi, Douglas Lima, Felipe Bonício, Pedro Geloso, Deyse Mello, Caio Manzaro, Caio Lívio, Danilo Battistini, Thaís Regina, Daniel Medina, Wedson Desiderário, Fábio Halmenschlager, Francine Emilia Costa, André Stábile, Glauce Leandres e Julio César Margraf.

Confira as Sessions que já rolaram por aqui na íntegra clicando aqui.

Divulgue o Troca o Disco!
Não deixe de assinar nosso feed no itunes e dar 5 estrelinhas para o nosso Podcast
Críticas, elogios e sugestões para contato@trocaodisco.com.br
Arte da Capa: Eder Oliveira

  • Eu fui ao último show em São Paulo. O Chuck perdia o tempo, errava a letra. Teve um momento que começaram a tocar e ele claramente não sabia que música era. Sim, ele fez o duck walk. Quando deu cerca de 40 minutos, chamou a mulherada ao palco. Aquela renca de mulheres alí em cima, ele perdendo o tom mas claramente feliz, começou a se despedir. Todo mundo incrédulo, com uma bela cara de “que?” e ele dizendo junto com a música que precisava mesmo ir, que ele precisava ir, que queria viver. Com 45 minutos ele saiu.

    Eu já vi Mark Ramone, mas este foi o show mais punk que eu já fui

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.