A história de um dos gêneros mais importantes e ricos da cultura brasileira. Entenda como a música sertaneja surgiu, quais as suas maiores influências e os nomes mais relevantes para o cenário ao longo das décadas.

Quem fala?
João Paulo, produtor musical e editor no Troca o Disco.
Henrique Machado, técnico em áudio, edição dos podcasts e revisão no Troca o Disco.
Bruno Hiago, músico, blueseiro de corpo e alma e publicitário.


Para download, clique com o botão direito e “salvar arquivo como…”

Colabore com o Troca o Disco no Padrim e receba brindes exclusivos!
Faça como: Khalil Oliveira, Bruno Souza, Sergio Eduardo, Pedro Cassimiro, Gabriel Campos, Pedro Geloso, Carlos Del Valle, Glauber Coelho, Wedson Desidério, Fábio Halmenschlager, Francine Emilia Costa, Adhemar Cidasi, Douglas Lombardi, André Stábile, Cesar Mashima, Caio Livio, Glauce Leandres, Wilber Silva, Lukas Matos, Thaís Regina, Danilo Battistini, Daniel Medina, Carlos Ottoboni, Dario Fukichima, Filipe Fernandes, Julio César, Caio Manzaro, Rogerio Nascimento, Luciano Pires, Léo Lopes e Hevanderson da Silva.

Confira as Sessions que já rolaram por aqui na íntegra clicando aqui.

Divulgue o Troca o Disco!
Não deixe de assinar nosso feed no itunes e dar 5 estrelinhas para o nosso Podcast
Críticas, elogios e sugestões para contato@trocaodisco.com.br
Arte da Capa: Eder Oliveira

  • Rogerio Pitarelli

    E aí meus caros! Quanto tempo! Excelente programa, falaram muito bem sobre o assunto, a música sertaneja é muito bela, com letras muito bonitas e que precisam ser conhecidas por quem ama música. Quem gosta de rock, em geral, acaba ficando preso a esse estilo, esquecendo que tem tantas outras coisas muito bem feitas por aí. Recentemente eu comprei uma viola e estou ouvindo muita musica caipira, para aprender a tocar, fato que aumentou muito minha alegria ao ouvir esse programa. Só por curiosidade, com uma pesquisa bastante rápida, encontrei uma variedade de 16 afinações diferentes para o instrumento, e sinceramente, devem ter mais. Essa variedade toda de afinações, que podemos comparar aos sotaques, mostra quão grande é a regionalidade desse tipo de música , onde podemos incluir (e que não foi citado no programa) toda a música do interior do nordeste como o repente, e porque não dizer o forró. A comparação com o blues realmente é muito válida, dado os assuntos que são tratados nas músicas, porém diferentemente do blues, sua origem não é negra, um dos poucos tipos de música atuais que não tem essa origem, diga-se de passagem.Mais uma vez, excelente programa, muito obrigado. Tenham uma boa vida!

  • Isaac Karlo

    Um salve a todos os musiqueiros de plantão! Tenho que admitir que ainda tenho um pouco de preconceito com o estilo. Mas não há como negar a importância deste gênero musical e a abordagem no cast foi muito objetiva em estabelecer esta relevância. Continuem fazendo programas com os estilos musicais genuinamente brasileiros para mostrar o quanto são diversos e quebrar preconceitos. As bolachadas também foram do mais alto requinte. Obrigado mais uma vez e tenham uma boa vida!

  • De Jesus, G.

    Dale, galera!
    Nada a ver com o tema, só vim me declarar. Dos podcasts que escuto o que mais me diverte é o troca o disco, mesmo quando o tema é algo que eu estou cagando, como esse de música sertaneja, faço questão de baixar e ouvir. Continuem. Beijo!

  • Só vim aqui pra citar que Disparada, do Jair Rodrigues, é simplesmente a MELHOR MUSICA JÁ ESCRITA E INTERPRETADA NO UNIVERSO EM PORTUGUÊS!
    Isso na minha opinião, que não vale nada, mas ta aí.

    E fica aí pedido por um episódio sobre os Festivais de Música Popular Brasileira da antiga, em especial o de 67 que só tem musicão meu, só lenda.

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.