Quem está acompanhando fielmente os episódios do Troca o Disco, sabe que no último programa lançado discutimos sobre as diferenças entre um home studio e um estúdio profissional, e pra quem ainda não ouviu o programa vai ter a oportunidade de saber um pouquinho mais sobre isso nesse post. Mesmo assim pra quem ainda não ouviu, clique aqui.

Essa semana houve o lançamento do EP “A Maré Viva” da banda Fresno, que foi gravado de uma maneira bem descontraída em todos os aspectos. No meio de uma chácara, de chinelo havaianas, bermuda de piscina e guitarras afinadas em “SI”, uma coisa bem fora do convencional, a banda filmou todo o processo de gravação que irá ao ar no dia 14 de abril pelo Canal BIS. Recomendo para quem tiver interesse em assistir, pra poder ver exatamente como funciona os processos dentro de um estúdio improvisado (home studio) e entender um pouco melhor o que conversamos no programa.

Ao mesmo tempo há alguns anos atrás na gravação do seu álbum “Systematic Chaos”, a banda Dream Theater lançou um DVD mostrando todo o processo de gravação, incluindo os músicos decidindo aspectos fundamentais para o enredo do trabalho e gravando as faixas juntos, o que se torna super interessante de se assistir, uma vez que aqui falamos de um estúdio profissional.

Sem mais delongas, o que eu quero mesmo aqui é que os nossos queridos ouvintes/leitores consigam visualizar através desse post o universo tanto de um home studio, quanto o de um estúdio profissional. Segue abaixo os vídeos com os dois exemplos para que você possa sentir as diferenças, nos ouvidos.

Fresno – Home Studio

Dream Theater – Estúdio Profissional

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.