Olá musiqueiros! Hoje vim falar de uma banda nova e que tem estado em evidencia nos últimos tempos, principalmente depois de sua participação no Rock In Rio 2013. Venho apresentar aos menos informados, e agraciar aos que já conhecem, a banda sueca Ghost, ou Ghost BC como é chamada nos EUA.

Antes de tudo quero explicar que sou um rockeiro relativamente novo, tenho belos 23 anos de idade, o que significa que 90% das bandas que aprecio tiveram seu ápice antes mesmo que meu querido pai sequer cogitasse flertar com minha saudosa mãe, então devo dizer que apesar de gostar de várias bandas novas, nenhuma tinha me causado tamanha euforia quanto o Ghost. Pela primeira vez em minha vida, senti que estava presenciando o nascimento de um monstro do rock, uma banda daquelas que meus netos ainda ouvirão falar, uma banda que futuramente poderá ser posta lado a lado com artistas já consagrados. Explicarei o motivo de exacerbada empolgação.

O Ghost foi formado em 2008, seu primeiro álbum saiu em 2010, mas só chegou aos meus ouvidos em 2012 (a viagem da Suécia pro Brasil é longa). Assim que bati os olhos nesse pessoal fantasiado pensei se tratar de mais uma dessas bandas com apelo visual forte mas sem muito a acrescentar, porém ao ouvir o som e perceber a temática e ambientação da banda, foi amor instantaneamente.

Devo lembrar vocês de que desde seus primórdios lá nos anos 50, o Rock tem como objetivo não somente fazer música, mas sim protestar, desafiar a sociedade e chocá-la, empurrar os limites das pessoas, incomodar de alguma forma. Com o passar dos anos, muitas bandas de rock começaram a utilizar do “satanismo” como artifício para chamar a atenção e chocar a sociedade conservadora (coloco “satanismo” entre aspas porque estou falando de adoração a satã e não da doutrina satanista do Anton LaVey que nada tem a ver com o capiroto).

Desde Black Sabbath, Venon, Iron Maiden, Slayer, entre outros até chegar ao black metal, as bandas que abordavam temas satânicos estavam sempre em busca de um som mais pesado e agressivo, provavelmente para combinar com o teor de suas letras. Porém o Ghost, apesar de também beber da fonte de satanás na hora de compor, seguiu por outro caminho. Como o diabo é uma criação da igreja, nada mais justo do que utilizar artifícios religiosos para criar a ambientação macabra perfeita. Diante disto a banda além de utilizar guitarras e baixo de heavy metal, faz uso de órgãos que remetem diretamente a catedrais góticas, e um vocal arrastado que lembra em alguns momentos o canto gregoriano. Musicalmente o grupo é uma combinação perfeita de riffs e refrões empolgantes do Heavy, com a ambientação macabra e sombria derivadas dos órgãos e dos vocais.

Visualmente o Ghost é um show a parte. Confesso que não acreditava que atualmente fosse possível uma banda chocar visualmente, acreditava que tudo já havia sido feito. Eis que juntamente com a música, o Ghost usa de artifícios religiosos no visual e cria um personagem profano para ser o vocalista da banda. Papa Emeritus, é literalmente um Papa de Lúcifer. Admito que ao ver a banda, não achei nada além de ridículo, porém, ao vê-los no palco, com todo o clima do show, fumaça, e as músicas com trechos cantados em latim, este pobre rockeiro que acreditava já ter visto de tudo se arrepiou. O show é realmente uma missa em louvor ao capeta.

Além disso, a banda tem um senso de humor bacana. Em diversas entrevistas, os integrantes lançam alfinetadas a igreja, como na época da escolha do novo Papa o vocalista Papa Emeritus ao ser perguntado se estaria no páreo respondeu: “De forma alguma, é preciso ser alguém muito mal para assumir o posto de Papa, eu sou bonzinho demais para isso.” Outro fator divertido é o de que o Ghost é mais uma destas bandas em que a identidade dos músicos não é revelada. Apesar da internet já ter descoberto quem é o vocalista, a banda luta para que os músicos se mantenham desconhecidos para o grande público. O senso de humor da banda é tamanho que foram divulgados vídeos com o Papa Emeritus sem maquiagem dando entrevistas e até cantando com a banda, porém pode se notar que o senhor que tenta se passar por Papa Emeritus também é uma máscara utilizada pelo vocalista.

Enfim, já me alonguei demais. Meu objetivo era apenas apresentar a vocês esta banda, que na opinião deste que vos escreve, ainda terá uma longa carreira e nos surpreenderá cada vez mais, assim como fez em seus 2 álbuns até então lançados. Foquei-me em discorrer sobre a banda e tentar despertar a curiosidade de vocês. Postei apenas 3 músicas aqui como de costume, mas recomendo que ouçam os 2 álbuns. O 1º é incrível, tem uma pegada mais Heavy Metal, o 2º é meu favorito, a banda está mais madura e misturando outros gêneros porém sem perder a sua própria essência. Até a próxima, amigos!

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.