Eis que desta vez resolvi me envolver em polêmicas. Mas por ser algo que realmente aguça minha curiosidade e sempre me deixa com a “pulga atrás da orelha”, decidi compartilhá-la.

A história é bastante antiga e ao que tudo indica se inicia na Suméria, por volta de 5500 a 4000 a.c., quando os sumérios afinavam seus instrumentos em Lá na frequência de 432Hz, ou seja, esta nota vibrava 432 vezes por segundo. Não se sabe exatamente o motivo real desta preferência, mas até o século XX, Mozart, Verdi e outros compositores da época, mantinham esta frequência. De acordo com cientistas, tocar e ouvir música em 432 Hz aumenta a capacidade de seu cérebro, faz seu corpo e o mundo orgânico ressoarem de forma natural, preenche seu interior com a sensação de paz, bem-estar com o mundo, liberando bloqueios emocionais, e expandindo a consciência.

Segundo o cientista W. O. Schumann, conhecido por documentar matematicamente que a frequência 8Hz é a batida fundamental do planeta, obteve este resultado após ressonâncias magnéticas em descargas elétricas de raios dentro da cavidade existente entre a superfície da terra e a ionosfera (camada terrestre localizada a aproximadamente 60.000 km da superfície da terra que contém cargas elétricas, íons e elétrons). Esta cavidade ressoa com ondas eletromagnéticas nas frequências extremamente baixas, de aproximadamente 7.86Hz – 8 Hz.

Na escala musical, Lá possui a frequência de 440Hz, e a nota C (dó) é de cerca de 261,656 Hz. Por outro lado, se tomarmos 8 Hz como nosso ponto de partida e trabalhar acima de cinco oitavas (ou seja, as sete notas da escala cinco vezes), chegamos a uma frequência de 256Hz em cuja escala a nota A tem uma frequência de 432Hz.

Mas não é esta a frequência que utilizamos atualmente, mas sim 440 Hz. No ano de 1939, ano que o nazismo vigorava, foi inserido de forma obrigatória a frequência em 440Hz, com o intuito de gerar insegurança e caos na Alemanha. Segundo estudos, esta frequência é capaz de estimular uma desordem interior ao ponto de deixar a pessoa incomodada. E desde então, este padrão perdura.

Os mais céticos dizem que esta informação não vai além de boatos, contos da carochinha. Afirmam que padrão foi instituído inicialmente para que os órgãos das igrejas soassem da mesma forma e em 1936 a American Standard Association (ANSI), órgão responsável por criar padrões, recomendou o uso de 440Hz e em 1955 houve uma oficialização internacional feita pela International Organization for Standarization (ISO).

Existem diversos estudos e o assunto vai muito além, recomendo para quem se interessou que busque conhecimento e chegue a alguma conclusão.

Caso tenha ficado com vontade de ouvir algo com 432 vibrações, deixo o vídeo abaixo.
Enjoy everybody:

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.