Existe genialidade no Drum Mix?

Existe genialidade no Drum Mix?

Saudações Musiqueiros de Plantão! Essa semana caiu no meu feed de videos do Youtube um artista que apenas faz versões de músicas eletrônicas/hip-hop/pop utilizando do seu instrumento, a bateria. E achei que tem algo de interessante nesses “drum mix” ou “drum cover”, pois alguns gêneros musicais como os citados acima utilizavam da gravação real de baterias e com o tempo foram substituídas pelos computadores e seus diversos recursos para a criação de ritmos, logo os bateristas estão defendendo sua função e criando linhas insanas de bateria para as músicas.

Quem começou com isso? É uma pergunta arriscada de se responder, mas quem popularizou os drum mix há 7 ou 8 anos atrás foi Travis Barker, o baterista do Blink 182, a fazer um vídeo em sua casa mesmo tocando a música Crank That do Soulja Boy. A partir disso não só Travis, mas como outros bateristas fizeram suas gravações em casa.

Existe genialidade em uma drum mix? Sem dúvida alguma: a construção de uma linha rítmica é umas das propriedades mais importantes da música, e a criatividade para reconstruir uma linha já existente também deve ser levada em consideração. A fusão de gêneros é algo muito interessante também, uma vez que na maioria vemos bateristas de rock fazendo versões de músicas pop.

Apreciem as versões escolhidas por mim abaixo, e uma atenção especial ao dubstep é considerado pois o ritmo é extremamente torto. Tenham uma boa vida!

Sobre o Autor
Apaixonado por guitarra e pelo Blues. Publicitário e formado em música pela Fundação das Artes. Leva uma boa vida e está sempre com uma trilha sonora na cabeça.