Saudações Musiqueiros de Plantão!

Na semana passada foi lançado a segunda parte da série que dominou as telas de smartphones, tablets e tvs nesse ano, “La Casa de Papel”, a série que conta uma história fictícia sobre um assalto na casa da moeda espanhola. Se alguém ainda não assistiu não perca mais tempo e corra pro seu serviço de streaming audiovisual.

Para os que já assistiram devem ter notado uma cena marcante onde dois personagens cantam com afinco e como forma de resistência uma canção de melodia forte chamada “Bella Ciao”, tempos depois descobri que ela tem um peso enorme na cultura política mundial.

Qual a sua origem?

“Bella Ciao” surgiu na Itália por volta do século XIX e teria sido um canto das trabalhadoras rurais temporárias que se deslocavam por plantações de arroz,  como forma de protesto contra os capatazes.

A tradução da versão original é algo como:

“De manhã, logo que me levanto, querida, adeus.
Devo ir trabalhar. Trabalhar lá no arrozal, querida, adeus.
Sob o sol que queima a cabeça.
E entre insetos e mosquitos, querida, adeus, um duro trabalho devo fazer.
O capataz em pé com seu bastão, querida, adeus.
e nós, encurvadas, a trabalhar.
Trabalho infame, por pouco dinheiro, querida, adeus.
e a consumir a tua vida.
Mas virá o dia em que todas nós, querida, adeus, trabalharemos em liberdade.”

Algumas décadas mais tarde, durante a Primeira Guerra Mundial, a letra da música foi refeita como uma forma de protesto contra o conflito. Mais alguns anos e o Partido Comunista italiano fez uma nova versão da letra, desta vez contra o governo fascista de Mussolini e a invasão alemã. A canção tornou-se um símbolo da resistência italiana e inspirou o cineasta Roberto Rosselini em seu clássico Roma, cidade aberta (ainda que a música não faça parte da trilha sonora).

Reformulada, a letra dizia o seguinte:

“E se eu morrer como resistente
Minha querida, adeus, minha querida, adeus, minha querida, adeus! Adeus! Adeus!
E se eu morrer como resistente
Tu deves sepultar-me
E sepultar-me na montanha
Minha querida, adeus, minha querida, adeus, minha querida, adeus! Adeus! Adeus!
E sepultar-me na montanha
Sob a sombra de uma linda flor.”

Em maio de 1968, novamente a música foi entoada por operários e estudantes nos protestos como forma de rebelião e hino comunista. Desde então, diversos músicos a entoaram em protesto pelo mundo e muitas versões circulam em diversas línguas, entre as mais conhecidas está a do artista francês Manu Chao.

Em 2015 como vencedor das eleições gerais na Grécia, o partido de esquerda Syriza fez a campanha entoando uma das mais conhecidas canções comunistas, a “Bella Ciao”. Com uma história intimamente ligada às lutas da esquerda em todo o mundo, a canção adquiriu um significado claro durante a corrida eleitoral. Não há europeu que não saiba o que significa este hino contra o fascismo e a opressão dos trabalhadores e camponeses.

Hoje em dia a música pode ser considerada um clássico mundial pois possui suas versões em diversas línguas e se popularizou ainda mais com a série mesmo tendo um significado muito maior que um entretenimento televisivo, até no Brasil já temos versões e remix de funks, o que não deixa de ser um protesto contra a opressão que as comunidades e o gênero sofre.

Tenham uma boa vida!

 

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.