Saudações Musiqueiros de Plantão!

Estamos de volta no ar e já estreando os reviews de 2019 com o pé direito participando do show de São Paulo da turnê de verão do Donavon Frankenreiter.

Quase que anualmente o músico e surfista Donavon vem para o Brasil e realiza uma série de shows em diversas cidades seja nas capitais ou em cidade menores do Litoral, e ontem estivemos no show dele que aconteceu na Via Matarazzo em São Paulo com abertura do mineiro Gabriel Elias.

Gabriel Elias

Em relação a atração de abertura e sua banda os músicos tocam muito bem e estão bem ensaiados, mas a música em si eu senti que não entregou aquilo que os fãs do Donavon gostam de ver, ninguém estava ali para ver um show pop de reggae a la “Armandinho 2.0”, por mais que o contexto em si seja música de praia e surf music, o reggae pop dos cantores brasileiros não é o foco, e o público acabou ficando disperso aguardando a atração principal.

Donavon Frankenreiter

Sem muita firula o trio composto por Donavon, Matt Grundy e Adrian Cota entra no palco, começando o show com a música “Big Wave”. Inclusive firula em relação a mega espetáculo não existe no show do Donavon, o clima é intimista e faz com que as pessoas se sintam no quintal de um amigo, vendo outros amigos tocarem.

E falando de liberdade isso foi o que mais me chamou a atenção nesse show, em resumo a apresentação inteira é uma grande Jam Session, em todas as músicas tocadas é aberto o espaço para o improviso acontecer, e isso faz com que se apresente menos músicas mas com uma duração interessante de show.

E esse improviso todo é muita responsabilidade do Matt Grundy, que tem um instrumento peculiar em suas mãos, são dois braços sendo um de contrabaixo e o outro uma guitarra, além de tocar gaita em diversos momentos. O que fica claro é que ele é um arranjador nato, pois a maneira com que ele e cria as frases na hora de empunhar um instrumento muda totalmente, parece até que tem um interruptor de on/off no cérebro.

No meio da apresentação vem a primeira música que faz com que o público presente solte a voz, resultante do refrão de “Move By Yourself”, do disco que leva o mesmo nome de 2006.

Em relação ao repertório considero bem equilibrado entre os discos de sua carreira, mesmo sendo apenas 12 músicas apresentadas. A que mais me chamou atenção foi a “Call Me Papa” que quase que um Slow Blues, abre espaço para o romantismo no fraseado improvisado do trio.

Ao apresentar o clássico “Free”, Donavon convida um fã chamado Henrique Pauli que segurava um cartaz para realizar as partes de J.Johnson.

O BIS do show pra fechar com o clima lá no alto e sempre um presente para os fãs a música “It Don’t Matter” do seu primeiro disco é tocada.

Um show leve, livre, descontraído e muito divertido, essas são as palavras que resumem o show do trio de Donavon Frankenreiter.

SETLIST

1 – Big Wave

2- The Way It Is

3 – You’re High

4- Whacha Know about Love?

5 – Move By Yourself

6 – Heading Home

7 – You

8 – Call Me Papa

9 – Free

10 – Our Love

11 – Swing On Down

BIS

12 – It Don’t Matter

Para ver todas as fotos tiradas pelo fotógrafo oficial do Troca O Disco, Matheus Fugazza (@m.fugazza), só acessar o link: https://www.behance.net/gallery/74750487/Donavon-Frankenreiter-Sao-Paulo

Tenham uma boa vida!

 

 

 

Newsletter Troca o Disco
Receba novidades com antecedência em seu e-mail
Seu e-mail não será compartilhado.